sexta-feira, 5 de julho de 2013

Vivendo na eternidade

Seja nas férias da criançada, ou nos finais de semana, assistir filmes em familia, sempre é uma boa pedida...
Mas, com meus filhos crescendo e não se interessando tanto por desenhos animados, começou a ficar dificil a escolha dos títulos...
Sempre na sexta a noite, querem assistir a algum filme legal...mas confesso que meu estoque de filmes está se esgotando...rsss

Listarei aqui, flmes que são legais para assistir com a criançada maior, que já não quer assistir desenho, mas que tb não pode assistir filme de adulto...

Essa parte do blog, terá como marcador, nas categorias ao lado, sempre "FILMES PARA ASSISTIR EM FAMILIA"...

Começo a lista com um filme que adorei.É da Disney e é um romance bem interessante, com uma história a desvendar.As crianças maiores vão ficar encantadas.Já as pequeninas talvez não entendam tanto...

Segue o meu guia de avaliação para os pais, baseado em minha opinião sobre o filme.

Linguagem clara, sem insinuações.Fala de funeral, morte, perda.
A violência se baseia em um vilão armado, mulher indefesa, luta com força excessiva, pessoas baleadas no peito, uma morte.
Há sequestro, ganância, ameaças.
Não há cenas de sexo, nem nudez, mas casal de adolescentes usam roupas intimas da moda antiga, para tomar banho no lago, e se abraçam pelo menos umas 2 vezes.
Sem uso de alcool, drogas ou fumo.
Perfeito para a turma a partir dos 10 anos, devido a  compreensão da estória.




Resumo:


Vivendo na Eternidade, ou Tuck Everlasting(nome original) é uma fantasia romântica doce, que se passa em 1914, sobre uma garota de 17 anos que descobre uma família de quatro pessoas que vivem na floresta, que são imortais.

Lindo filme, não deixe de assistir!


terça-feira, 7 de maio de 2013

Presentes criativos para o dia das mães!


Sou apaixonada por idéias para se fazer em familia!
Sugestões para comemorar o dia das mães, de forma diferente e divertida é tudo que uma mãe sonha, e se for para compartilhar com os filhos então...torna o dia perfeito!
Que tal dar uma espiada no que a Faber Castell selecionou para este dia tão especial?

Quem disse que o presente tem que ser caro, para se tonar inesquecível?

Dia das Mães:

Kits da Faber-Castell transformam criatividade em presente
Que tal os pais incentivarem seus filhos a personalizar os presentes para as mamães neste dia tão especial? Além de passarem mais tempo junto com as crianças, elaborando o gift personalizado para o Dia das Mães, eles ainda estimulam os pequenos a desenvolver a criatividade e a expressar seu carinho e sentimento verdadeiro pelas mães e também as avós.
Os kits da linha Creativity For Kids da Faber-Castell permitem que as crianças criem presentes exclusivos, em momentos de alegria e diversão. Pode ser um minijogo de chá pintado à mão com cores vibrantes ou panelinhas gourmet decoradas do jeitinho que a mamãe gosta. Ou ainda bichinhos pintados com toda dedicação especialmente para elas.
E qual mãe não adora receber um mimo feito pelos próprios herdeiros? Saber que os pequenos criaram com as próprias mãozinhas um presente para homenageá-las deixam as mães ainda mais emocionadas. E são presentes guardados pela vida inteira.

Veja algumas opções de kits criativos:


Panelinhas Gourmet – As panelinhas são o desejo de qualquer menina! Que tal customizar as próprias panelinhas do jeitinho que a sua mãe adora?
O kit traz panelinhas de porcelana, uma colher de pau, receitas e dicas nutricionais que dão graça ao brinquedo. E ainda traz tintas para que a criança deixe suas panelinhas com a cara que quiser, antes de iniciar a viagem pelo mundo da gastronomia. Com este brinquedo aquele jantar imaginário com a sua mamãe ganha graça e forma. Conteúdo: Três Caçarolas com tampa, duas panelas com cabo sem tampa, uma minicolher, quatro potes de tinta 15ml cada, três receitinhas de brincadeira e dois pincéis.
Preço Sugerido: R$ 69,99.

Corujinha de estimação – Uma corujinha de gesso para personalizar e transformar em um bichinho de estimação. Sua mãe vai adorar! Conteúdo: 1 coruja de gesso, três potinhos de tinta (amarelo, azul e vermelho) e um pincel.
Preço sugerido: R$ 29,99

Pinguim divertido – Pinguim de pano lavável, com várias canetinhas para pintar quantas vezes quiser. É só usar a imaginação e presentear a mamãe ( ou a vovó!) Conteúdo: um pinguim para pintar e seis canetinhas Super Soft (Vermelho, Amarelo, Laranja, Verde, Azul e Violeta).
Preço sugerido: R$ 69,99

Decorando meu Minijogo de Chá - A hora do chá chegou! As decorações das xícaras e dos pires ficam por conta da criatividade da criança. Com a ajuda dos pais este joguinho de chá será uma diversão sem fim. Conteúdo – Um Jogo de Chá de cerâmica, quatro potes de tinta, um pincel | Preço Sugerido: R$ 69,99.


Sobre a Faber-Castell
Líder mundial na produção de EcoLápis de madeira plantada, a história da Faber-Castell se confunde com a própria criação do lápis. Fundada em 1761 na Alemanha, hoje a empresa possui escritórios em mais de 100 países. No Brasil, onde está presente desde 1930, três fábricas (São Carlos-SP, Prata-MG e Manaus-AM) e 9.600 hectares de floresta cultivada (também em Prata-MG) são as responsáveis pela produção de 1,9 bilhão de EcoLápis por ano. Com mais de 69 mil postos de venda no Brasil, exporta também para mais de 70 países. Seu portfolio inclui: EcoLápis de cor e de grafite, giz de cera, tintas escolares, canetinhas hidrográficas, apontadores, borrachas, canetas, lapiseiras, kits criativos, produtos artísticos, instrumentos e acessórios de luxo para a escrita. Seu projeto de plantio e seus EcoLápis são certificados pelo FSC (Forest Stewardship Council). Em 2004, a Faber-Castell também recebeu o certificado ISO 14001, conquistando a recertificação em 2010.

Informações para a imprensa
Faber-Castell - Agência Ideal – PABX: (11) 4873 7900 – www.agenciaideal.com.br
Jessica Arruda Krieger – (11) 4873-7614– jessica.arruda@agenciaideal.com.br

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Os filhos Crescem



Tudo vai passar, eles vão crescer e dispensarão nosso colo.
Vai chegar a fase em que os amigos serão mais importantes que os pais.
Que nossas demonstrações de afeto em público serão consideradas “um grande mico”.
Que em vez de torcer que eles durmam, torceremos para que eles cheguem logo em casa.
Que não se interessarão mais pelos velhos brinquedos.
Que o alvoroço na hora do almoço, vai dar lugar a calmaria.
Que dirão coisas tão maduras que nosso coração irá se apertar.
Que começaremos a rezar com muito mais freqüência.
Que morreremos de saudade de nossos bebes crescidos.
Por isso...
Viva o agora. Releve as birras. Conte até 10.
Faça cosquinhas, conte histórias, de abraço de urso.
Deite ao lado deles na cama.
Abrace-os quando tiverem medos.
Beije o machucado (sim, beijo de mãe cura de verdade).
Solte pipas, brinque de boneca. Faça gols, comemore.
Divirta-se, acorde cedo nos domingos para aproveitar mais o dia.
Rezem juntos.
Estimule-os a cultivar amizades.
Faça bolos. Carregue-os no colo.
Faça com que saibam o quanto são amados.
Passe o máximo do tempo possível juntos.
Assim, quando eles partirem para seus próprios vôos,
Você ainda terá tudo isso guardado no coração.

(Cinthia Moralles)

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Como ensinar as crianças sobre os limites necessários



Limites são importantes e essenciais na vida de todos nós. Vivemos cercados deles em todas as circunstâncias e momentos. Sem limites é impossível viver em sociedade e se relacionar em grupos ou com outra pessoa. Os adultos são responsáveis por inserir limites e orientar as crianças em relação a eles. Sim, limites são ensinamentos e explicações dos “porquês”. É assim que aprendemos a conviver com as delimitações existentes na vida, ou seja, com a realidade.

Quando a criança entende o porquê de determinada ordem, maiores são as chances dela obedecer. Ordem por ordem não funciona. Se dizemos, “Não suba aí, você pode cair e se machucar”, estamos, mais do que dando uma ordem, ensinando de maneira didática e clara o porquê do limite.

Mostre à criança os benefícios do respeito ao limite ensinado. Além disso, reforce-a quando ela tiver uma atitude positiva e madura diante dos limites impostos; por exemplo, quando ela sai da televisão e senta-se à mesa para comer; quando ela escova os dentes antes de dormir ou olha para todos os lados antes de atravessar a rua. Estas são situações de limites que permitem a criança obedecerem às regras e criar disciplina.

Os limites não são colocados apenas pelo discurso, mas também, e principalmente, através da atitude que os adultos têm na vida. O adulto é um grande espelho para a criança; por isto, se você não quer que a criança grite, bata e fale palavrão, não faça isso. Estes são pequenas atitudes do adulto que a criança entenderá como adequadas. Além disso, é através deste comportamento que o adulto ensina a criança valores e regras sociais importantes para seu amadurecimento e para a sua convivência social.

Se o adulto for rígido demais na imposição dos limites, ele terá também uma criança dura e rígida. Crianças rígidas fazem birra quando você não compra o que ela viu na loja de brinquedo, a pipoca na porta da escola, enfim, não escutam e nem aceitam o “não”. Não adianta medir força e muito menos ser agressivo. O retorno será o mesmo: comunicação inacessível, desrespeito e falta de entendimento. Nada disso constrói algo positivo no relacionamento entre pais e filhos e na educação da criança que a ajude crescer. Aqui os limites são autoritários e impostos com certa dose de incoerência e inflexibilidade, e muitas vezes com agressividade verbal e ou física.

Por outro lado, se o limite não existir ou for fraco demais, a criança também não irá entender o que esperamos dela e nem terá parâmetros sobre sua conduta. Neste caso, não há condução, nem mesmo orientação. Aqui, muitas vezes, a regra passa a ser exceção.

As crianças precisam de um direcionamento, de um contorno. Precisam aprender a lidar com dificuldades e suportar frustrações. Precisam aprender a diferenciar entre necessidade e vontade, ou seja, quero assistir televisão, mas tenho que dormir porque amanhã vou acordar cedo para ir à escola. Precisam aprender a discernir entre o dever e a escolha, por exemplo, fazer as tarefas da escola todos os dias, não tem escolha. Precisam compreender os limites entre o poder e o querer, como não pode nadar porque está gripado e a água está gelada.

Para finalizar esta pequena reflexão, é importante dizer que, o bom ensinamento sobre limites é servido com afeto e boas explicações. São impostos com coerência. Mantenha pulso firme quando achar que é adequado e para o bem da criança, para sua proteção e desenvolvimento físico, psicológico e social.

Fonte: Ninguém cresce sozinho, por Verônica Esteves Carvalho

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Como você arruma o quarto do seu filho?

Toda mãe fica de cabelo em pé quando tem que arrumar o quarto dos filhos, né??
Será que tem algum que não tenha bagunça??
Talvez até tenha sim...mas com certeza, ali não se brinca!
Aqui em casa, tooooodos são bagunçeiros, mas Gui e Lucas são campeões!
Nossa, não consigo deixar aquele canto arrumado!
Então, fui percebendo, ao longo dos anos, que o quarto muitas vezes não estava bagunçado...mas sim, "arrumado ao modo deles".
Quando eu reclamava pq tal coisa estava ali ou acolá, eles logo vinham e me explicavam, cheios de argumentos válidos, o porque das coisas estarem organizadas do jeito deles.
Então, compreendi que eles estavam certos.
Cabe a mim, ajudar, acompanhar, orientar a manter o quarto limpo e habitável...rsss....
Mas tenho que deixa-los livre para organizar as coisinhas do jeitinho deles.

Nós  mães, gostamos de manipular...organizar as coisas do nosso jeito.Por mim...os brinquedos estavam em caixas, separados por categoria, por exemplo.
Mas para eles não...os brinquedos já fazem parte da brincadeira.

Hj, entrei no quarto dos meninos (Gui e Lucas), para guardar umas roupas.
Então me deparei com toda a "decoração cenográfica" que habita ali.
Não resisti e registrei, para mostrar a vocês.
Achei bacana, realmente observei as idéias deles colocadas em prática.
Para nós, mães, a decoração tem que estar combinando, na moda, bonita, agradável...para eles basta fazer parte da brincadeira que já os faz feliz!Tudo tem que ser prático, estar a mão para brincarem a  qualquer momento.

Vejam alguns  detalhes que achei  interessantes:


Máscaras de super heróis: Eu as guardava numa caixa, com alguns brinquedos "sem categoria especifica", então, eles colocaram na parede...pendurados bem ao lado da porta.
Agora só vivem com as mascaras no rosto.


Os bonecos do Max Stell(acho que é assim que se escreve), guardei todos num depósito plástico bem bonitinho que encontrei no supermercado.Pronto, para mim, era a solução perfeita.Tudo no mesmo cantinho.
Mas, para eles, os bonecos vivem histórias:

Esse é o valente, guerreiro, não tem medo de nada!
Aqui, o encontrei na prateleira, empurrando o monstro!

Esse me chamou a atenção...
Enquanto um estava caindo da prateleira, o outro, deitado,  segurava a sua mão!


Esse daqui, tb na prateleira, segura o relógio de pulso


Esse, está logo abaixo dos demais, na prateleira inferior, e descansa sobre o cubo mágico, com a perna no radinho.


E o buzz?Sempre coloco o capacete, mas eles tiram.Assim ele vê melhor...pois o acrilico do capacete está arranhado...


Esse bicho...não sei que personagem é...mas sempre coloco em pé, na prateleira...é só eu virar as costas...eles penduram o bicho novamente...rsss


Os uniformes da escolinha de futebol, não conseguem achar lugar no armário, tadinhos.
Sempre ficam pendurados, bem na frente da cama. E as plaquinhas de torcedores sempre sobre eles.




Por mais que eu decore caixinhas fofas para que os jogos de cartas fiquem guardados, eles deixam de lado, e preferem pendurar nas paredes!


Ao entrar no quarto, os quadrinhos com suas artes são logo vistos!


No meio do quarto, entre as duas camas, fica o jogo de futebol.
Nunca guardado, sempre assim, com as peças montadinhas, prontas para uma partida a qualquer momento!


E assim, percebi, que não podemos obriga-los a arrumar as coisas do nosso jeito.
Assim, no mundinho deles, são práticos e vivem suas brincadeiras.
A gente entra no quarto, e consegue perceber a personalidade deles, em cada canto.
Ali é o mundo deles, e ponto.


segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Toalha na mesa, já!



Aqui em casa costumamos usar jogo americano na hora das refeições.
Raras são as vezes onde forramos a mesa com as toalhas.
Mas ontem, estava preparando a mesa para jantarmos quando me vi forrando com uma toalha bem bonita.
Nesse momento, entra Gui na cozinha, e vem me ajudar a cobrir a mesa..
Enquanto forra a mesa comigo, vai se abraçando com a toalha e dizendo:
_ Ah, mamãe eu adooooro quando vc coloca toalha na mesa.
_ É mesmo, Gui?Por que? _ Pergunto.
_ Porque a mesa fica mais bonita, e nosso jantar mais aconchegante!

Pronto!
Resolvido!
Agora só fazemos nossas refeições com a mesa bonita, com toalha!
Abaixo aos jogos americanos...rsss